ENVIAR A UM AMIGO(A) FECHAR
SEU NOME: SEU E-MAIL: NOME: E-MAIL: MENSAGEM: CÓDIGO: imagem atualizar
Blog Facebook Twitter Youtube Instagram RSS

IEDINEWS

> ÁREA DO ALUNO

Esqueceu sua senha?
Clique aqui!
IEDIPEDIA
TAMANHO DA LETRA: +A -a
16/08/2017 - Quarta-Feira
  (Nº de votos 0)
13:37 - Reclamante que busca no Judiciário enriquecimento sem causa é condenado por má-féA juíza do Trabalho substituta Vivian Chiaramonte, de São Bernardo do Campo/SP, ao julgar improcedentes todos os pedidos de reclamante contra o Banco Bradesco e outros, condenou-o por litigância de má-fé.

  O autor da reclamação trabalhista pretendia o reconhecimento do vínculo empregatício, bem como o pagamento de verbas rescisórias, horas extras, bem como direitos previstos na norma coletiva dos bancários.

  Contudo, a juíza concluiu que não houve a comprovação da tese do autor.

  “Causa estranheza que diante de tantos anos de labor o autor não junte aos autos um documento sequer relacionado a suas atividades. Já a recamada juntou aos autos diversos documentos que não foram impugnados quanto a seu conteúdo, sendo a replica genérica quanto aos mesmos, que comprovam que de fato o autor agia como sócio da quarta reclamada.”

  Para a magistrada, o reclamante “faltou com a verdade na tentativa de induzir o juízo a erro, sonegando informações na inicial e falseando informações em depoimento pessoal”.

  Ao condená-lo em litigância de má-fé no valor de R$ 1 mil, a julgadora destacou:

  “É patente que de forma ardilosa o reclamante informa fatos inverídicos. Flagrante a maneira temerária como litiga já que detentora do prévio conhecimento acerca da verdade dos fatos, utilizando-se da máquina judiciária para buscar o enriquecimento sem causa.”

  Processo: 1001395-41.2016.5.02.0463

  Veja a sentença.

Fonte: Migalhas
Conteúdo Relacionado
30/10/2017 - A morte do estudante tomador do empréstimo importa na extinção da fiança e a exclusão do fiador da obrigação de pagar o FIES25/10/2017 - Rosa Weber suspende portaria que mudou regras de combate ao trabalho escravo20/10/2017 - Auditores criticam mudança nas regras para fiscalização do trabalho escravo19/10/2017 - PGR pede revogação de portaria que altera conceito de trabalho escravo16/10/2017 - STF mantém concurso que foi anulado por intimidade de aprovadas com desembargador Comentários
Faça seu login ou crie uma conta

Somente usuários cadastrados podem fazer comentários.

Está publicação não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA INTERATIVA
© 2010-2012 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL.
LEIA OS TERMOS DE USO.

Telefone: (19) 3115-9306