ENVIAR A UM AMIGO(A) FECHAR
SEU NOME: SEU E-MAIL: NOME: E-MAIL: MENSAGEM: CÓDIGO: imagem atualizar
Blog Facebook Twitter Youtube Instagram RSS

IEDINEWS

> ÁREA DO ALUNO

Esqueceu sua senha?
Clique aqui!
IEDIPEDIA
TAMANHO DA LETRA: +A -a
13/06/2017 - Terça-Feira
  (Nº de votos 0)
13:41 - Lava Jato: Sérgio Cabral é condenado a 14 anos por corrupção e lavagemO ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi condenado nesta terça-feira pelo juiz Federal Sérgio Moro, da 13ª vara Criminal de Curitiba/PR, a 14 anos e 2 meses de prisão em regime inicial fechado por corrupção passiva e 12 crimes de lavagem de dinheiro no âmbito da Lava Jato. É a primeira condenação do político na Operação.

  Cabral foi acusado de receber pelo menos R$ 2,7 mi em propinas da empreiteira Andrade Gutierrez no contrato de obra do Complexo Petroquímico do RJ (Comperj).

  "Entre os crimes de corrupção e de lavagem, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a catorze anos e dois meses de reclusão, que reputo definitivas para Sergio de Oliveira Cabral Santos Filho. Já as multas devem ser convertidas em valor e somadas. Considerando as regras do art. 33 do CP, fixo o regime fechado para o início de cumprimento da pena. A progressão de regime para a pena de corrupção fica, em princípio, condicionada à efetiva devolução do produto do crime, no caso a vantagem indevida recebida, nos termos do art. 33, §4º, do CP."

  A ex-primeira-dama Adriana Ancelmo foi absolvida das imputações de crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro por falta de prova suficiente de autoria ou participação.

  Na mesma ação, foram condenados o ex-secretário do governo Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho e Carlos Miranda por corrupção e lavagem de dinheiro. Mônica Carvalho, mulher de Wilson Carlos, também foi absolvida.

  Processo: 5063271-36.2016.4.04.7000

  Veja a íntegra da sentença.


Fonte: Migalhas
Conteúdo Relacionado
18/08/2017 - Pernambucanas é condenada por trabalho análogo à escravidão17/08/2017 - Advogado e estagiário são condenados por falsificarem acórdãos16/08/2017 - Reclamante que busca no Judiciário enriquecimento sem causa é condenado por má-fé14/08/2017 - Empresa pública terá que reintegrar vigia dispensada devido a prática religiosa11/08/2017 - Universidade particular não pode ser responsabilizada por crise no Fies Comentários
Faça seu login ou crie uma conta

Somente usuários cadastrados podem fazer comentários.

Está publicação não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA INTERATIVA
© 2010-2012 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL.
LEIA OS TERMOS DE USO.

Telefone: (19) 3115-9306