ENVIAR A UM AMIGO(A) FECHAR
SEU NOME: SEU E-MAIL: NOME: E-MAIL: MENSAGEM: CÓDIGO: imagem atualizar
Blog Facebook Twitter Youtube Instagram RSS

IEDINEWS

> ÁREA DO ALUNO

Esqueceu sua senha?
Clique aqui!
IEDIPEDIA
TAMANHO DA LETRA: +A -a
08/06/2017 - Quinta-Feira
  (Nº de votos 0)
13:43 - Frente parlamentar defende eleição direta em caso de vacância na Presidência da RepúblicaCinco partidos de oposição (PCdoB, PDT, PSB, Psol e PT) lançaram nesta quarta-feira (7) a Frente Parlamentar Mista por Eleições Diretas. Representantes da sociedade civil e alguns parlamentares de partidos da base aliada também participaram do ato.

  O objetivo é fortalecer a pressão sobre o Congresso para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 227/16, que prevê eleição direta para presidente e vice-presidente da República no caso de vacância desses cargos, exceto nos últimos seis meses do mandato. A análise da admissibilidade na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania está prevista para terça-feira (13).

  No Senado, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania aprovou na última quarta-feira (31), por unanimidade, uma outra proposta que vai na mesma linha. A diferença é que a eleição direta só não ocorreria se a dupla vacância ocorrer no último ano do mandato.

  Atualmente, a Constituição prevê eleição direta de presidente e vice-presidente em caso de vacância apenas nos dois primeiros anos do mandato. Nos dois últimos anos, a eleição é indireta, e os nomes são escolhidos em sessão conjunta do Congresso Nacional (513 deputados e 81 senadores).

  Mobilização no Brasil

Para o presidente da frente parlamentar, senador João Capiberibe (PSB-AP), a eleição direta é o único caminho para o Brasil resolver a atual crise política e ética. Ele defendeu ampliar a mobilização nos estados e municípios. “Que as assembleias legislativas e câmaras municipais também organizem frentes de luta pelas diretas”, disse.

  O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), afirmou que frente vai ajudar a formar uma consciência na sociedade de que a melhor saída para a crise política é a escolha popular. “O País não vai se acalmar com eleições indiretas. Estou convencido que essa frente vai cumprir um papel fundamental para mobilização para aprovarmos as diretas”, afirmou Guimarães.

  Nos últimos dias, shows com o tema reuniram artistas, intelectuais e milhares de pessoas no Rio de Janeiro e São Paulo. Segundo Guimarães, os atos continuarão em outras cidades do País nos próximos dias.

  Crítica à proposta

O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), é contrário a mudanças. “Nosso porto seguro tem de ser o caminho dado pela Constituição. Fazer casuística para atender aos interesses de A, de B ou de C é a pior das soluções que pode surgir.” Efraim Filho ainda apontou o custo da eleição presidencial, segundo ele de cerca de R$ 1 bilhão, como outro motivo para não alterar as regras.


Fonte: Agência Câmara Notícias
Conteúdo Relacionado
20/10/2017 - Auditores criticam mudança nas regras para fiscalização do trabalho escravo19/10/2017 - PGR pede revogação de portaria que altera conceito de trabalho escravo16/10/2017 - STF mantém concurso que foi anulado por intimidade de aprovadas com desembargador04/10/2017 - TRF3 ABRE PROCESSO SELETIVO DE ESTÁGIO PARA CADASTRO RESERVA29/09/2017 - Bonifácio de Andrada será relator da denúncia contra Temer Comentários
Faça seu login ou crie uma conta

Somente usuários cadastrados podem fazer comentários.

Está publicação não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA INTERATIVA
© 2010-2012 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL.
LEIA OS TERMOS DE USO.

Telefone: (19) 3115-9306